Pesquisa personalizada

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Evidencias do Projeto Geometria e Artes

Os alunos do 7° ano A, realizam atividades com mosaico na aula de artes.A mesma faz parte da ação do Projeto Geometria e Artes.                                                                                                                                                        

























Evidencias do Projeto Geometria e Artes

A professora de Arte Juliane do Colégio Estadual Getúlio Vargas trabalha com a imagem de  Picasso, P.  Mulher em lágrima. A mesma explora figuras geométricas na imagem.Veja as fotos abaixo dos trabalhos realizados pelos alunos do 7° ano A.

 


ALUNOS DO 8° ANO A - RESOLVENDO ATIVIDADES SOBRE ÁLGEBRA

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Aplicando Atividade do AAA 5 - Organizando Contagens

Alunos do 6° ano C do Colégio Estadual Getúlio Vargas em Ananás - TO, realizam atividade do Gestar II de Matemática , aula 2 - Organizando Contagens do AAA - 5.
A SEDUC - TO, disponibilizou recurso para as Escolas Estaduais que tem o Programa de Gestão de Aprendizagem para xerocopiar atividades dos AAA's, com essa iniciativa da SEDUC, tornou-se mais fácil trabalhar com os AAA's em sala de aula. Veja o slide abaixo.

GESTAR II - MATEMÁTICA - ORGANIZANDO CONTAGENS

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

MENSAGEM AO PROFESSOR


MENSAGEM AO PROFESSOR

MENSAGEM AO PROFESSOR

MENSAGEM AO PROFESSOR

MENSAGEM AO PROFESSOR

Mensagens: Dia do Professor

Homenagem ao dia do professor

As bolas de papel na cabeça,
Os inúmeros diários para se corrigir,
As críticas, as noites mal dormidas...
Tudo isso não foi o suficiente
Para te fazer desistir do teu maior sonho:
Tornar possíveis os sonhos do mundo.

Que bom que esta tua vocação
Tem despertado a vocação de muitos.
Parece injusto desejar-te um feliz dia dos professores,
Quando em seu dia-a-dia
Tantas dificuldades acontecem.
A rotina é dura, mas você ainda persiste.
Teu mundo é alegre, pois você
Consegue olhar os olhos de todos os outros
E fazê-los felizes também.

Você é feliz, pois na tua matemática de vida,
Dividir é sempre a melhor solução.
Você é grande e nobre, pois o seu ofício árduo lapida
O teu coração a cada dia,
Dando-te tanto prazer em ensinar.

Homenagens, frases poéticas,
Certamente farão parte do seu dia a dia,
E quero de forma especial, relembrar
A pessoa maravilhosa que você é
E a importância daquilo do seu ofício.
É por isto que você merece esta homenagem
Hoje e sempre, por aquilo que você é
E por aquilo que você faz.

Felicidades !!!
Autor: (Desconhecido)



Oração do Professor

Dai-me, Senhor, o dom de ensinar,
Dai-me esta graça que vem do amor.
Mas, antes do ensinar, Senhor,
Dai-me o dom de aprender.
Aprender a ensinar
Aprender o amor de ensinar.
Que o meu ensinar seja simples, humano e alegre, como o amor.
De aprender sempre.
Que eu persevere mais no aprender do que no ensinar.
Que minha sabedoria ilumine e não apenas brilhe
Que o meu saber não domine ninguém, mas leve à verdade.
Que meus conhecimentos não produzam orgulho,
Mas cresçam e se abasteçam da humildade.
Que minhas palavras não firam e nem sejam dissimuladas,
Mas animem as faces de quem procura a luz.
Que a minha voz nunca assuste,
Mas seja a pregação da esperança.
Que eu aprenda que quem não me entende
Precisa ainda mais de mim,
E que nunca lhe destine a presunção de ser melhor.
Dai-me, Senhor, também a sabedoria do desaprender,
Para que eu possa trazer o novo, a esperança,
E não ser um perpetuador das desilusões.
Dai-me, Senhor, a sabedoria do aprender
Deixai-me ensinar para distribuir a sabedoria do amor.

Antonio Pedro Schlindwein

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O NOVO INSTRUMENTO PEDAGÓGICO A “WEBQUEST”.

A Webquest, traduzido ao pé da letra significa “Busca na Web”. “É uma forma de resolver problemas criativamente e ensinar os alunos a pensar”, explica Bernie Dodge professor da Universidade Estadual de San Diego (California – EUA) e criador desse novo conceito de aprendizado: a webquest.
A mesma é uma página na internet, feita pelo professor, que apresenta aos alunos uma tarefa a ser cumprida com base no conteúdo trabalhado durante as aulas. E tem como objetivo aproximá-lo da realidade dos estudantes. Os alunos desenvolvem pesquisas sobre determinado assunto em web sites selecionados pelo professor.
Para elaborar a webquest o professor deve seguir a seguinte estrutura: 1 – Introdução; 2 – Tarefa; 3 – Processo; 4 – Recurso; 5 – Avaliação.
O professor contextualiza o tema a ser trabalhado para seus alunos. Em seguida, apresenta a proposta de trabalho e seus objetivos. Depois, explica quais as etapas a serem cumpridas. Os recursos que serão disponibilizados para a pesquisa, ou seja, os links, que o professor monta com endereços eletrônicos confiáveis na rede, que os alunos usarão como fonte. E por último os critérios de avaliação da tarefa.
Segundo Bernie tinha uma inquietação em relação ao papel do educador na atualidade, este foi um dos motivos o que motivou a criação da Webquest. Segundo ele, queria encontrar uma forma de transformar os alunos durante o processo pedagógico, de modo que o professor não fosse mais a figura transmissora de conhecimento na sala de aula. “o objetivo do professor não é a transmissão, é a transformação, e o papel deles é reunir fontes de conhecimento para os alunos e ajudá-los a usá-los.
Acredito que a webquest é um excelente instrumento pedagógico, visto que a cada dia as tecnologias em especifico a internet vem ganhando espaços na educação, assim, os professores não podem deixar de desfrutar dessa mais nova ferramenta de ensino.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

PESQUISA & ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E LITERATURA: DIÁLOGOS ENTRE FORMADOR E PROFESSOR - Wagner Rodrigues Silva e Lívia Chaves de Melo (orgs.)

O livro organizado pelos colegas Wagner e Lívia em coedição com a Universidade Federal do Tocantins (UFT) é fruto de um trabalho investigativo e convida-nos a fazer algumas reflexões sobre o processo de ensino e aprendizagem da Língua Materna e da Literatura nas salas da Educação Infantil e do Ensino Básico. Os autores nos apresentam questões instigantes que envolvem planejamento, avaliação, materiais didáticos, práticas de leitura, escrita e análise lingüística. Ao ler o livro, é possível perceber o envolvimento e também o entrelaçamento que há entre os professores-formadores da Universidade e os professores em formação continuada de um curso de Especialização, realizado no Estado do Tocantins. O trabalho apresentado pelo grupo contribui de maneira significativa para todos os professores de Língua Materna e Literatura que estão nas salas de aulas das escolas brasileiras. Colabora também na formação dos nossos alunos dos cursos de Letras e Pedagogia, bem como na orientação dos professores formadores desses alunos. Além disso, sobressai no mercado editorial por ser um trabalho que não ficou só no âmbito das lamentações, pois os artigos contidos no livro apresentam propostas e sugestões de atividades que nos convidam para realizar reflexões no sentido de buscar um letramento maior e melhor dos nossos alunos.
Lingüística
PESQUISA & ENSINO DE LÍNGUA MATERNA E LITERATURA: DIÁLOGOS ENTRE FORMADOR E PROFESSOR
Wagner Rodrigues Silva e Lívia Chaves de Melo (orgs.)
ISBN: 978-85-7591-103-7
Formato: 14 x 21 cm -- 200 pp. -- primeira edição: agosto de 2009
Preço: R$ 36,00
SUMÁRIO E AUTORES QUE PARTICIPAM DA COLETÂNEA:

Introdução
DIÁLOGOS ENTRE FORMADOR E PROFESSOR
PARA PRODUÇÃO DO ENSINO E DA PESQUISA
I Parte
POLÍTICAS EDUCACIONAIS NO ENSINO
DE LÍNGUA MATERNA E LITERATURA
Capítulo 1
HISTÓRIA DE AUSÊNCIA DA PARTICIPAÇÃO DOCENTE
NA CONSTRUÇÃO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS
Kátia Cristina
Capítulo 2
TEORIA ACADÊMICA E PRÁTICA DOCENTE
EM REFERENCIAL CURRICULAR
Wagner Rodrigues Silva e Lívia Chaves de Melo
II Parte
ENSINO DE LÍNGUA MATERNA
Capítulo 3
PRÁTICA DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA ORIENTADA
POR PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DA APRENDIZAGEM
Juliane Pereira Sales
Capítulo 4
PRÁTICA DE ALFABETIZAÇÃO SOB OLHAR DE PROFESSORAS
Wagner Rodrigues Silva e Eliziane de Paula S. Barbosa
Capítulo 5
ANÁLISE LINGÜÍSTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL:
PROFESSORES E ALUNOS COMO SUJEITOS
DA APRENDIZAGEM
Luiza Helena Oliveira da Silva, Eliziane de Paula S. Barbosa e
Elisângela Teixeira da Silva
III Parte
ENSINO DE LITERATURA
Capítulo 6
LETRAMENTO LITERÁRIO NA ALFABETIZAÇÃO
Hilda Gomes Dutra Magalhães e Eliziane de Paula S. Barbosa
Capítulo 7
A LITERATURA EM SALA DE AULA:
INVESTIGANDO MATERIAIS DE APOIO DIDÁTICO
Lívia Chaves de Melo e Hilda Gomes Dutra Magalhães
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 189

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Dicas de Jogos de Matemática

Trilha
Os próprios alunos criam um tabuleiro, com os obstáculos e a história. O jogo ensina seqüência numérica, ordem crescente e decrescente, contagem e quantificação.
Bingo
Nas cartelas tradicionais, o aluno aprende a ler os números. Durante o sorteio, o professor pode anunciar os números de forma diferenciada, falando sobre dezenas, unidades, antecessores e sucessores, ou exigindo algum tipo de operação para a descoberta do numero sorteado.
Batalha Dupla
Cada aluno retira duas cartas de um baralho tradicional. Elas devem ser somadas ou subtraídas, conforme a orientação do professor. Quem tiver o maior resultado ganha a carta do colega. Vence o jogo quem tiver mais pontos, somados no final da competição.
Atrás da Orelha
O jogo tem dois jogadores e um juiz. Os jogadores retiram uma carta do baralho, sem ver qual é o seu número. A carta deve ser colocada atrás da orelha para que apenas o outro jogador veja seu número. Cabe ao juiz dizer qual o resultado da soma ou da subtração das duas cartas. Para vencer, o jogador vê a carta do colega e precisa raciocinar para descobrir qual é a sua.
Poliminó
É uma espécie de quebra-cabeça formado por várias figuras geométricas, criadas á partir de monominós, que são unidades-padrão. Para montar o poliminó, o aluno precisa pensar no conceito de área e perímetro de uma figura plana.
Torre de Hanói
Jogo milenar que utiliza um tabuleiro de madeira, com pequenas torres e aros de diversos tamanhos. Para vencer o desafio - que pode ser o tempo gasto para colocar aros em determina ordem nas torres - o aluno faz estimativas e raciocina sobre múltiplos, potências e equações. O jogo serve também para organizar o pensamento.
Policubos
O jogo é semelhante ao poliminó, mas o quebra-cabeça é uma espécie de cubo. Nesse jogo, o aluno estuda o volume das figuras.
Corrida Algébrica
Na corrida algébrica, o aluno vai avançar com seu pino no tabuleiro depois de descobrir qual é o resultado de uma equação. O próprio aluno pode escolher que valor deseja atribuir á variável, de forma a conseguir o resultado maior.
Tangran
O jogo tem várias peças, com tamanhos variados. O aluno estuda área, polígono, perímetro e até frações.
Jogo da Estrela
Cada aluno retira um número positivo ou negativo do tabuleiro. Vence quem obter o maior resultado, depois de fazer a soma dos números escolhidos. Nesse jogo, os estudantes aprendem a soma dos números negativos e positivos, ordem e conceito de oposto.

Google+ Followers