Pesquisa personalizada

BIOGRAFIAS

M.C. Escher 

Maurits Cornelis Escher, nasceu na pequena cidade de Leewarden na  Holanda em 17 de junho de 1898. Entretanto passou a maior parte da sua infância na cidade de Arnhem onde floreceram suas primeiras habilidades. Começou com seus estudos da arte com o professor F. W. Van de Haagen, com quem aprendeu a trabalhar com as formas e a desenhar em linóleoMostrando um grande interesse pelas artes gráficas e (seguindo os conselhos de seu pai), Escher ingressou na Escola Secundária de Haarlem para estudar arquitetura.
Contudo, em 1919 um artista Holandês chamado Samuel Jessurun de Mesquita reconhecendo as grandes aptidões de Escher, insistiu para que ele desistisse da arquitetura e se dedicasse apenas às artes gráficas. Isso foi fácil para o jovem Maurits, pois seu desejo nunca foi realmente se embrenhar no ramo da arquitetura em primeiro lugar. Escher se tornou pupilo de Mesquita durante seus restantes dias de escola até ele se formar em 1922.
Depois de se formar na sua escola em Haarlem, Escher viajou constantemente pela Europa, principalmente para Itália. Depois de tê-la conhecido bastante, em 1923 mudou-se para a Itália que sempre o fascinou. Escolheu morar em Roma, onde ele viveu até 1935.
Entre os anos de 1926 e 1935, Escher viajou para o interior da Itália numa difícil jornada a pé. Abruzzi, Viterbo, Ilha de Corsica, Calábria, Amalfi e várias outras locações através do Sul da Itália foram visitadas por Escher. Foi dessas jornadas que ele fez vários dos seus rascunhos daquilo que iria fazer parte da base para seu trabalho futuro. Durante o rigoroso inverno onde sua viagem foi interrompida, ele gastaria seu tempo trabalhando e aperfeiçoando esses rascunhos.
Como sempre, Escher fez várias cópias detalhadas do seu trabalho para ser re-trabalhado por ele mesmo. Dois lugares em particular foram os Mosaicos dos Mouros encontrar no Alabama, e La Mesquita in Córdoba. Desde então Escher tem sido muito menos móvel, e viajou somente de férias, para visitar seu filho que vivia no exterior ou para dar palestras sobre o seu trabalho. Inglaterra, Canadá, Estados Unidos foram alguns dos lugares que foram visitados por Escher para esse propósito.
Depois ele se mudou para Ukkel, perto de Bruxelas, em 1937. Viajou mais uma vez para a sua terra natal. Em 1970 foi a última vez que Escher se mudou, quando finalmente ele se fixou em Laren.
Escher morreu em Março de 1972 e seu trabalho continua fascinando gerações pela sua singularidade e originalidade. Ele hoje é uma referência,  M. C. Escher, é primordialmente reconhecido pelo seu incrível talento artístico em misturar elementos de surrealismo com elementos de matemática além de sua incrível técnica em xilografia e litografia. Gostava de trabalhar desenhos com Ilusões de Espaço e Formas, Prédios Impossíveis e Mosaicos Geométricos Infinitos (tessellations). É um homem estudado e grandemente apreciado pelos matemáticos e cientistas ainda que ele não tivesse uma formação formal de matemática e física. Entretanto, ele foi um homem modesto e simples que nem sequer considerava a si mesmo um artista ou um matemático.

Texto retirado e adaptado dos sites: http://orbita.starmedia.com/necrose/Escher/Escherbiografia.htm  e
 http://www.mcescher.com/



  ESCHER E A GEOMETRIA


Publicado em 01/06/2011
NOVA ESCOLA faz um passeio pela exposição "O mundo mágico de Escher", em cartaz até o dia 17 de julho de 2011 no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo. O arquiteto Roberto Pompéia, professor na Universidade Anhembi-Morumbi e na Escola da Cidade, em São Paulo, comenta os conceitos matemáticos que aparecem nas obras do artista gráfico holandês.




Fonte: Nova Escola
Postar um comentário

Google+ Followers